sábado, agosto 30

Vozes que não se calam

Esta noite promete ser uma boa noite, de lírios e delírios
Apetece-me então um mui peculiar turbilhão – sim, porque não
Alguns chamar-lhe-ão tesão, outros agitação…
Sinceramente pouco ou nada disso interessa – se sequer acaba ou se começa
São vultos, meras sombras de uma noite de memória
…palavras de veludo que juntas contam uma estória
São seiva e lágrimas, causalidades da penitência
Reflexos do esconjuro da própria existência – subsistência
Ai… se eu te pudesse contar realmente o abismo
Se te pudesse mostrar… este filho da puta de exorcismo

Sem comentários: