quarta-feira, janeiro 14

Assim


...tão minha que chego a convencer-me que o contrário seria ilógico como ilógico seria, algo ser mais que eu ou sequer além de mim. Tão minha quanto a certeza que tenho deste EU ilusório ser imperturbavelmente capaz de travar a mais dura batalha contra si mesmo, sem se importar em vencer ou perder, viver ou morrer… mas sim provar que dele é aquilo que nele é.
Tão certo quanto nada o ser.
Insondável será, eu sei, tudo aquilo que acontece em cada momento desta sucessão de mim – às vezes perco-me ou chego mesmo a desaparecer como o próprio pó que sou, mas sei, que as maiores viagens do ser se fazem sem se sair do lugar e, é por isso que tão minha é, a convicção de que determinadas almas vivem num piscar de olho aquilo que o comum mortal levaria toda a sua vida a viver.

Sem comentários: