segunda-feira, fevereiro 27

No meu peito



Apetece-me um pouco de nada
Um par de guitarras numa serenata
Apetece-me deitar o ouvido em ponto morto
Ah doce melancolia…
A ti dedico este espírito absorto

Sem comentários: