segunda-feira, junho 26

Estranho em terra estranha


Ser feliz é ser suspeito. Eu não posso rir na rua, à frente seja de quem for, porque se vai logo pensar que me estou a rir de alguém. Eu não posso andar “em cima”, porque o normal é andar-se “em baixo”. Se me sentir “em cima”, vai-se logo pensar “em cima” de alguém.
A maioria adora ser infeliz, sofrer de angústia e insegurança. Quantos mais problemas a pessoa tiver, mais interessante se torna. O feliz é um tonto, um adoidado.
Ninguém tem pena de mim... porque sou perverso. Sou FELIZ.

Sem comentários: