sábado, junho 3

Tudo é um mistério - os olhos não



Será a escrita a expressão do conhecimento, ou é este uma forma de escrita?
Ambos? Nenhum dos dois?
Que importa… se eu escrevo simplesmente porque quero e tudo mo faz querer.
Porque escrevia Pessoa, Ramos Rosa ou Sophia?
Será esta escrita a prosa de uma respiração muda - de um silêncio que anseia falar de si próprio?
Se tudo o pode, porque não a própria solidão?
Se eu fosse um assassino, poderia escrever pelo gozo da ilusão, imaginando a intenção da palavra?
Porque não... não é.

Escreva lá eu porque escreva… faço-o para estar só.

Sem comentários: