terça-feira, julho 18

O lobo que foi homem



Carlos Drummond de Andrade, escreveu que só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo, e Fernando Pessoa dizia que não tinha tamanho.
Eu digo que sou do tamanho daquilo que consigo suportar. Eu não sou homem, o homem é escravo. Eu sou um lobo entre carneiros. Sou a lógica no meio dos sofismos. O pesadelo constante dos paralogismos.
Faz sentido perguntar, porque caralho se autoavalia tão caro o homem, para se vender a troco de quase nada!

Afinal… o homem é homem para quem?

Sem comentários: