sábado, agosto 5

O pouco, disfarçado de mais



Epá… eu juro que não queria mais pensar a escrever, mas, de repente, pus-me pr’aqui a matutar nisto.

O que será mais sábio e fatídico, ser um oportunista que grita aos sete ventos “aproveita, que esta merda não dura pra sempre, quanto mais volta a ser”, ou, ser um cínico maldito, que simplesmente despreza qualquer tipo de alegria, que, por tanto se insistir efémera, é estupida e falsa, consequentemente?

1 comentário:

Corvo Negro disse...

Ironicamente, a coisa permanece a mesma coisa. A diferença está, na forma como intrinsecamente cada um de nós a aborda e, mesmo assim, no fim das contas, não faz diferença alguma.
Então porque sorrimos? Vamos todos sorrir :-)