sábado, outubro 25

Pobre pierrot


Eu sou um aforista. 
Sou sim, um pierrot ou um palhaço triste que nas mãos trémulas guarda sentenças curtas feitas à medida da memória, cânones rotos para enfeitar as janelas da cachimónia. 
Eu gosto e prefiro a realidade em poucas palavras, o entendimento através do mutismo. 
Frequente rima com mente… tanto quanto a lembrança é afinal uma corrente. 

Sem comentários: