segunda-feira, abril 6

Réalité irréalisable


Estranha-me. 
Eu quero que me estranhes, porque quanto mais me estranhares, mais fácil te será entender-me.
Lambe o sangue destas palavras em rebelião constante. Atreve-te a engolir-lhe a seiva gramatical - líbido intelectual.
Ousa fechar os olhos a todo o esforço que cometes nessa tentativa vã de creres religiosamente naquilo que pensas que és e mergulha… no mais profundo caos da tua existência.
Não há desenlace. A solução é na verdade a coisa mais parecida com esse nosso "eu", ou seja, un remède temporaire… para disfarçar o inconformismo de tamanha ignorância, perdidos que estamos de nós próprios.

Sem comentários: